CINERAMA

cinema sem frescura

Better to be king for a night than schmuck for a lifetime

Image

Desde já peço desculpa pelo título de minha resenha, mas achei que esta fala retrata tão bem o tema da obra que merecia ser citada em sua forma original. O filme retrata a vida de Rupert Pupkin que fantasia em ser um renomado comediante da televisão e acredita ser o ‘’rei da comédia’’. Para Pupkin o que o impede de sair do anonimato para ingressar no estrelato é somente uma oportunidade. Por isso, persegue Jerry Langford, um famoso apresentador de talk show, para assim conseguir sua chance de ouro. E é rejeitado. Após juntar-se com outra fanática bola um plano para sequestrar o apresentador pedindo como resgate o espaço no programada do refém para expor seu stand-up em transmissão nacional.

O filme chama atenção para uma visão bem consolidada na sociedade: a solidão é equivalente à derrota. Por isso muitas vezes vemos pessoas que buscam com garras e dentes um espacinho no hall da fama, seja em meio de comunicações ou em seus círculos sociais, escola ou trabalho. Ser “famoso’’ significaria nunca estar só e isso é visto como uma vitória. A personagem de Langford certamente estaria em desacordo com este pensamento, uma vez que mesmo com fama e riqueza é extremamente triste e mau-humorado.

Também é vista a transição entre a admiração e a inveja em relação a um ídolo. Analisando friamente, é possível perceber que Pupkin não se interessa pela arte de Langford e sim pelo seu estilo de vida e pelos benefícios que a fama pode lhe trazer. Esta vontade de ocupar um lugar que não lhe pertence de uma forma tão firme o torna perigoso e ele acaba cometendo um crime, como retrata a história.

O filme indubitavelmente apresenta temas bem interessantes, porém não me agradou. Admito que a culpa em grande parte deva ter sido minha, pois não fui com olhos imparciais e talvez por ser fã do Scorsese e esperar algo mais violento e bruto tenha gerado a deixa para o desapontamento.

Não costumo me basear nisso como parâmetro, mas só para mérito de curiosidade este foi um dos maiores fracassos de bilheteria de Scorsese. Apesar de minha crítica, recomendo que assistam, pois a atuação de De Niro está (como de costume) admirável e a parceria do mesmo com o diretor em questão é sempre interessante.

Luisa M. L. Peres

Anúncios

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: